JESUS TE AMA COMO NINGUÉM POIS ELE É TEU SALVADOR

DEUS X PECADO >< PECADO X DEUS


Na continuação desta importante questão, retomamos  dizendo que 'se' Deus é compreensível e apreensível o é em razão de sua autodoação, autorevelação e autocondescendência, e não porque o Teólogo Moisés ou Paulo nos escreveu a seu respeito, ou seja, o Deus que pode ser entendido e apreendido como PESSOA que se interpõe como o Outro que pode e quer se relacionar graciosamente conosco não pode ser fruto de investigação humana, pois como PESSOA que é dispõe de sua própria Vontade: podendo recusar a ser conhecido e revelado, bem como a se envolver em relação = relacionamento entre Criador e criatura. Pois bem, eis aí nossa percepção: só poderemos entender realmente o que vem a ser Pecado se primeiramente conhecermos o Deus que abomina e odeia o Pecado a ponto de se autodoar por meio de seu Filho em sacrifício pelo Pecado (desculpe-nos a redundância!). Assim, se partimos do pressuposto de que Deus e o Mundo criado são iguais, então temos o que se chama de Panteísmo. Ou se partimos do pressuposto de que Deus criou este Mundo e nos abandonou, então temos o Deísmo. Ou ainda, se partimos do pressuposto de que há em Deus vários deuses ou seres, então temos o Politeísmo. Enfim, se nossa premissa é a que diz que o Bem (Deus) e o Mal (Satanás = Serpente) são forças correlatas e iguais, então sucumbiremos no Maniqueísmo. Destarte, se somos Panteístas, Politeístas, Deístas e Maniqueístas, então teremos uma concepção de Pecado igual à concepção que o Budismo, o Espiritismo, o Induísmo e tantos outros 'ismos' filosóficos pregam e ensinam neste mundo.


Quem é Deus? O que é Pecado? É possível sabermos o que vem a ser Pecado sem sabermos quem é Deus? O Pecado é explicável sem Deus e Deus sem o Pecado? Já perceberam o quanto este assunto é profundo: o mistério de Deus e do Pecado? Ora, se houve um tempo em que o Mundo e a criatura humana não existiam: só Deus em sua gloriosa e eterna autoexistência (Ele têm Vida em si mesmo e Vive por si mesmo). Então poderemos definir que Deus é o Outro em oposição ao Mundo e em oposição ao homem: embora criado à sua Imagem, não deixa de ser Imagem (cópia criada = ícone = desenho = gráfico imaginado e criado podendo ser apagado!). Assim, como este Outro Ser inefável, inacessível, indescritível e glorioso pode usar uma Mula para repreender um profeta rebelde, um Peixe para evitar o suicídio de outro profeta teimoso, e mandar Leões 'matar' outro profeta desobediente, pode se condescender em se relacionar e habitar em quaisquer outra criatura humana que Ele deseja comungar. Portanto, sendo o Pecado um produto da criatura e não do Criador, de sorte que a criatura angélica venha a cair (como satanás e os seus) bem como a criatura humana (Adão + Eva e seus descendentes), então podemos dizer que o Pecado é Maior que qualquer criatura: humana ou angélica. E como não é um produto ou algo que possa atingir o Criador, infere-se que o Criador poderia facilmente ter destruído a criatura rebelde num tipo de um aniquilacionismo total e prosseguir em seu sempre eterno Amor = seu Filho, deleite seu. Contudo, sabendo Deus que a criatura que criaria em dado momento incorreria numa Queda no Pecado: não temos, insistimos, a prerrogativa da impecabilidade. E por ter decidido levar adiante seu plano de Criação, mesmo com esta previsão e presciência, em sua Providência e decreto eternal decidiu então sua Kenosis (auto-esvaziamento misterioso) para Tabernacular com sua criatura (João 1.14; Filipenses 2.6-11; Apocalipse 21.3). Reiteramos o mistério: a criatura não poderia ser criada para viver isenta da Queda no Pecado (a presença no Éden da árvore da Vida e a do Conhecimento demonstra isto), pois não 'era' impecável, mas foi mesmo assim criada, pois o Impecável Deus se condescendeu em se fazer Pecado (assumir a posição legal-jurídica de Pecador) para que fosse possível Tabernacular com sua criatura a ponto de trazê-la para compartilhamento de sua Divindade, passando a ser seres SANTOS como é SANTO Aquele que os criou! Entendes a implicação de tudo isto? Não implica em universalismo cósmico = a salvação de todas as criaturas que sofreram a Queda no Pecado, angélica e humana. Mas implica, dentre outras coisas, na Salvação de incontáveis criaturas, pois o Deus Criador que os Salva, é maior que o Pecado, Maior que o Inferno, Maior que todo ser humano, e Maior que o Diabo e seus anjos. Se disséssemos que haverá mais almas no inferno do que no céu, isto significaria que Deus é fraco em relação à ficção filosófica do Livre-arbítrio e fraco em relação ao poderio demoníaco e mundano, o que não é verdade e nem há base Bíblica para tal reivindicação. E, novamente, dizer que Adão 'poderia' continuar sem pecado, seria o mesmo que dizer que Adão dispunha de uma alma eterna, o que contrairia a ameça de morte (o que veio a acontecer: Adão morreu) em caso de desobediência, bem como seria inexplicável o por quê Lúcifer e os anjos criados sem Pecado caíram [em Pecado] no céu (Ap. 12). É tolamente inferir a impecabilidade da criatura.


                                  Continua...